sábado, 25 de fevereiro de 2012

"Choque-Rei", clássico de antigas emoções


Os campeonatos regionais realmente não são os mais atrativos.

Para os torcedores dos grandes clubes da capital, o que realmente interessa nessas competições estaduais são as fases de mata-mata, a partir das oitavas de final, ou então os confrontos diretos entre os tais grandes.

No próximo domingo, 26, Palmeiras e São Paulo, duas potências do futebol paulista, se encontrarão novamente. O jornalista Tomaz Mazzoni, do jornal "A Gazeta Esportiva, definiu, muitos anos atrás, o confronto como "Choque-Rei", e assim é chamado até hoje.

É verdade que o Palmeiras não é o maior rival do São Paulo, assim como o Tricolor também não é o maior desafeto do Verdão, porém a rivalidade entre as duas equipes é antiga e carrega muita história e dados interessantes.


O COMEÇO DE TUDO

O primeiro jogo entre as duas equipes aconteceu em 30 de março de 1930, quando o São Paulo ainda não era o "Futebol Clube" e o Palmeiras ainda era Palestra Itália.

O jogo foi válido pelo Campeonato Paulista e terminou com o empate em 2 a 2, com gol até do grande Friedenreich (São Paulo), que há quem diga ter sido melhor que o Pelé.

Embora o clube não compute os títulos conquistados antes de 1935, quando de fato o São Paulo foi fundado com o nome "São Paulo Futebol Clube", vale lembrar que o primeiro título disputado entre as duas equipes foi em 1931, e o Tricolor levou a melhor.

O Palmeiras venceu o turno por 3 a 2, mas o Tricolor goleou por 4 a 0 no returno, o que lhe deu direito absoluto de erguer o troféu.

Nos dois anos seguintes mais uma vez houve o encontro de Palmeiras e São Paulo na briga pelo caneco Paulista.

O Primeiro, em 1932, foi bastante polêmico. O Verdão venceu o Tricolor por 3 a 2 no primeiro turno. Porém, como ocorreu a Revoluçao Constitucionalista de 32, o segundo turno não foi realizado e o clube alviverde, líder, sagrou-se campeão. Claro que a equipe do Morumbi não gostou nada da decisão dos organizadores.

Em 1933 deu Verdão novamente, porém sem deixar nenhuma dúvida. Bateu o rival por 3 a 2 no primeiro turno e por 1 a 0 no segundo, com um gol de Avelino, aos 29 minutos da etapa complementar.

Depois da "morte", se é que podemos chamar assim, do São Paulo da Floresta e o surgimento do São Paulo Futebol Clube, o primeiro jogo contra o Palmeiras aconteceu em 25 de outubro de 1936, com outra vitória Palestrina, por 3 a 0.

O primeiro título do São Paulo após seu "renascimento" ocorreu em 1943 numa competição pra lá de emocionante. São Paulo e Corinthians lideravam a competição. O São Paulo enfrentaria o Palmeiras, terceiro colocado, com dois pontos atrás dos rivais. Se o Verdão vencesse a partida, os três empatariam e haveria um campeonato entre eles para definir o campeão.

São Paulo campeão Paulista de 1943
Aos seis minutos de bola rolando, o grande Sastre, um dos craques do São Paulo, se contundiu e passou o resto da partida sem sequer andar direito. Teve de ficar fazendo número em campo, já que naquela época ainda não existia substituição.

O Tricolor segurou bravamente o resultado de 0 a 0 e assim sagrou-se campeão. Foi o seu primeiro título Paulista, o que lhe rendeu a expessão de que "a moeda caiu em pé". O São Paulo pôde, enfim, sentir-se vingado pelos tantos títulos perdidos diante de seu algoz.   

Por incrível que pareça, em 1944 a disputa pelo título do estadual foi novamente entre Palmeiras e São Paulo. O Tricolor Paulista tentava seu segundo título, enquanto o verdão disputava seu 10º campeonato, porém dessa vez com um desfalque considerável: o argentino Dacunto, centro-médio que formava uma afinada linha com Og Moreira e Gengo.

A ausência do jogador não fez diferença alguma. O alviverde bateu o rival das três cores por 3 a 1 e foi novamente campeão do Paulistão.

A torcida, de alma lavada, desfilou pelas ruas da capital carregando um caixão tricolor e cantando em alto e bom som a seguinte música: "Com Dacunto ou sem Dacunto, o São Paulo é um defunto!".





CAMPEÃO INVICTO
Foto: www.miltonneves.com.br
Aconteceu no campeonato Paulista de 1946. O São Paulo enfrentaria o Palmeiras (novamente) em jogo valendo o título. O Corinthians, que ainda tinha chance de conquistar o título caso o Palmeiras vencesse o jogo, torcia desesperadamente por um tropeço do Tricolor.

O Pacaembu estava lotado. O clima do jogo era tenso. Aos 13 minutos do segundo tempo, Luizinho, do São Paulo, chutou Oberdan, goleiro do Palmeiras, e começou um verdadeiro tumulto dentro de campo. Og Moreira e VillaDoniga, do Verdão, além de Luizinho e Remo, do Sampa, foram expulsos.

Já com os ânimos mais calmos, Bauer, aos 38 do segundo tempo, cruza para a área do palestra, a bola bate na trave e, no rebote, o zagueiro Armando Renganeschi bota no fundo da rede. Gol do São Paulo. Gol do título, o primeiro caneco invicto do clube do Morumbi.


MEU JOGO INESQUECÍVEL

Uma partida que jamais esquecerei entre Palmeiras e São Paulo aconteceu em 1992, na final do Campeonato Paulista.

O Palmeiras era uma equipe sólida, com César Sampaio, Antonio Carlos, Evair e companhia, mas enfrentou o São Paulo de Telê, com Zetti, Cafú, Muller, Palhinha, Raí, dentre outros.

O Tricolor havia sido campeão do Mundo, em Tóquio, e muitos achavam que a equipe comandada pelo Mestre Telê entraria de salto alto e dispersa para a finalíssima.

Porém, logo na primeira partida a "máquina mortífera", como foi rotulada na época por jornalistas esportivos, atropelou o Verdão no estádio do Morumbi. Com três gols de Raí e um de Cafú (foto), o São Paulo bateu o Palmeiras por 4 a 2 (os gols do Palmeiras foram de Daniel e Zinho) e foi tranquilo para a segunda partida.

O jogo de volta, e esse sim foi emocionante, já que o Zetti, meu ídolo, pegou até pensamento, terminou 2 a 1 para o Tricolor (gols de Muller e Cerezo para o São Paulo e Evair para o Palmeiras), sacramentando o bicampeonato, pois no ano anterior levantou o caneco após derrotar o Corinthians.

Lembro-me muito bem desse dia. Aliás, parece que foi ontem. Tempos bons do São Paulo. Que saudades...

Assista ao vídeo dessa final eletrizante




DECISÕES DE TÍTULOS
  • 1933: Palestra Itália 3 x 2 São Paulo. 2º Jogo - Palmeiras 1 x 0 São Paulo - Palestra Itália campeão

  • 1942: Palmeiras 3x1 São Paulo - Palmeiras campeão

  • 1943: São Paulo 0x0 Palmeiras - São Paulo campeão

  • 1944: Palmeiras 3x1 São Paulo - Palmeiras campeão

  • 1950: São Paulo 1x1 Palmeiras - Palmeiras campeão

  • 1971: São Paulo 1x0 Palmeiras - São Paulo campeão

  • 1972: Palmeiras 0x0 São Paulo - Palmeiras campeão invicto e São Paulo vice invicto

  • 1992: São Paulo 4x2 Palmeiras. 2º Jogo: São Paulo 2x1 Palmeiras - São Paulo campeão.


  • Neste quesito o Palmeiras leva vantagem sobre o São Paulo. Foram 5 títulos do Verdão contra 3 do Tricolor.


    DISPUTA EM COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS (Libertadores)

  • 30/03/1974: São Paulo 2x0 Palmeiras - 1ª fase (Grupos)

  • 24/04/1974: Palmeiras 1x2 São Paulo - 1ª fase (Grupos)

  • 27/04/1994: Palmeiras 0x0 São Paulo - Oitavas (1ª partida)

  • 24/07/1994: São Paulo 2x1 Palmeiras - Oitavas (2ª partida)- São Paulo classificado

  • 18/05/2005: Palmeiras 0x1 São Paulo - Oitavas (1ª partida)

  • 25/05/2005: São Paulo 2x0 Palmeiras - Oitavas (2ª partida)- São Paulo classificado

  • 26/04/2006: Palmeiras 1x1 São Paulo - Oitavas (1ª partida)

  • 03/05/2006: São Paulo 2x1 Palmeiras - Oitavas (2ª partida)- São Paulo classificado


  • Aqui, a vantagem é do São Paulo. Foram cinco vitórias do São Paulo, sendo que três delas renderam a classificação à próxima fase da Libertadores (1993, 2005 e 2006), dois empates e nenhuma vitória do Verdão.

    A maior goleada no confronto ocorreu no dia 26 de março de 1939, pelo Campeonato Paulista. O São Paulo goleou o Palmeiras por 6 a 0. Já o maior placar do Verdão sobre o Tricolor aconteceu no dia 19 de maio de 1965, quando emplacou 5 a 0 sobre seu rival.

    De março de 1930 até 27 de novembro de 2011 (último confronto entre as duas equipes) foram 299 partidas. O São Paulo possui leve vantagem sobre o Palmeiras. Foram 103 vitórias para o Tricolor contra 98 do Verdão, além de 98 empates. O Clube do Morumbi balançou 404 vezes a rede do Verdão, equanto o Alviverde marcou 392 no rival.

    É por isso que sempre que há Palmeiras e São Paulo duelando, independente de como estão suas situações no campeonato atual, a emoção é enorme.

    Neste domingo, esperamos que o clássico esteja recheado de emoçoes e que vença o melhor, claro.




    2 comentários:

    Binhozinzis disse...

    Belo apanhado, gostei muito da matéria e te confesso que nunca havia lido algo tão abrangente referente a esse clássico, Parabéns Fernandão!

    abs

    Binho

    nikeairmaxshoes90 disse...

    Platform sneakers are back for you! Enrich your appearance with the north face shoessporty platform sneaker. Its thick layered sole, stylish stitching and elastic gore offers you snug fit as well as incredible comfort.Moncler Shoes
    You can use volatile platform sneakers both for fashion and relaxation. Suede and molded rubber toe cap of dance sneaker render you smooth feel for various foot movements.the north face Colorful stitching and traction rubber outsole provide you grip and support to dance on all floors. Retro lace up and padded foo