quinta-feira, 17 de junho de 2010

Conseguiram o que queriam

Foi anunciado ontem pela Fifa que o estádio do Morumbi foi eliminado dos planos para a Copa de 2014, no Brasil. Talvez muita gente não saiba, mas o futebol não é essa mil maravilhas que acreditamos ser.

O São Paulo Futebol Clube apresentou vários projetos para sediar a Copa e até mesmo para ser palco de abertura do Mundial, mas todos foram recusados. A cada novo projeto, uma nova exigência da Fifa.

A princípio, prefeitura e governo estadual haviam dito que essa seria uma Copa privada, e que não se intrometeriam no desenvolvimento de estádios para o evento. Porém, como não foi possível continuar com o projeto "Morumbi" terão de intervir.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e o Comitê Organizador Local (COL) não fizeram questão nenhuma em apoiar o São Paulo nesta luta por 2014. Em relação à CBF, isso já era esperado. O São Paulo rompeu ligações com a entidade desde que foi prejudicado por eles. Aliás, se todos os clubes tivessem peito para bater de frente com a CBF como o São Paulo fez, teríamos um Campeonato Brasileiro mais honesto.

Segundo uma nota, o governo estadual e a prefeitura descartam participação em uma eventual arena, o que acho difícil de acontecer. É obvio que eles estarão envolvidos. Mas claro que existia um interesse enorme em que o Morumbi não fosse aprovado. Pois agora será necessário construir um estádio, no qual será utilizado o dinheiro público (O NOSSO DINHEIRO), e assim fica fácil haver roubos.

Eles conseguiram o que queriam. Acho, inclusive, que tudo foi premeditado. Levaram essa história do Morumbi até longe demais. Não seria surpresa nenhuma se logo de início o Morumbi já fosse descartado, mas a coisa não poderia ser tão descarada, e por isso fizeram esse mistério. A verdade é que tanto a CBF quanto outras entidades envolvidas comemoraram a exclusão do estádio.

O que me irrita profundamente é o discurso do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que disse que "o estado de São Paulo não corre nenhum risco de ficar de fora do evento e que a abertura tem de ser lá". Ou seja, que o Estado de São Paulo não vai ficar de fora, isso já sabíamos, pois é o centro financeiro do Brasil. Tem os melhores hotéis, os melhores hospitais (embora muita coisa tem de ser feita neste sentido), os melhores restaurantes, enfim.

Agora entendo um pouco melhor o porquê que um amigo jornalista me disse, certo tempo atrás, que o futebol é sujo e que ele se decepcionou com o esporte. Quem sabe isso não seja uma dica a quem está iniciando na área de jornalismo e que sempre sonhou em ser um jornalista esportivo.

2 comentários:

Blog do Fanaticolor! disse...

É como eu falei no meu blog Fernando. "Brigar com os Patrões do futebol nacional só poderia resultar em retaliações mesquinhas" e isto foi provado nesta decisão completamente política.

Não entendo a necessidade que a CBF vê em construir um novo estádio em São Paulo, principalmente com as cifras apresentadas e sendo dinheiro público. O que aconteceria com o Pacaembu, que é público? Se tornaria mais um gigante elefante branco?

Dou meus parabéns ao nosso presidente. Não precisamos de copa do mundo aqui, principalmente, porquê de copa e ganha-las a gente entende.

Saudações

Fernando Richter disse...

Pois é,

Você não vê necessidade em construir um novo estádio porque não há essa necessidade. O que eles querem é roubar...

Abs,