domingo, 11 de julho de 2010

Futebol moderno

E a "zebrinha" desta Copa da África resolveu vestir as cores vermelho e amarelo, ou seja, deu Espanha contra a Holanda na final do Mundial.

Como já era de se esperar, tivemos 90 minutos de jogo truncado e sem emoção. As duas seleções não subiam com força máxima ao ataque com medo de deixar o posto desguarnecido e sofrer o gol que poderia ser fatal. Analisando friamente, a gente até entende, mas como torcedor de futebol, é inaceitável que duas equipes, que estão disputando a "Taça do Mundo", sejam tão covardes.

Às vezes me pego muito pensativo a respeito. Fico lembrando de grandes equipes que jogavam o mais "fino" do futebol. Lembro também das Copas que terminavam com disputa entre duas equipes brilhantes, taticamente e tecnicamente, e que davam show dentro de campo.

Parece que tudo isso acabou. Onde está o espetáculo, os dribles, as firulas, os gols de placa, a malandragem, enfim, o fascínio do esporte?

E que fique claro que isso não é desmerecer a atual campeã. Pelo contrário. Acho até que o título foi bastante justo, pois a Espanha foi a única que conseguiu manter uma regularidade (exceto no jogo de estreia, quando perdeu para Suíça, por 1 a 0). Sem contar que foi a Espanha quem eliminou a Alemanha, que na minha opinião era a seleção favorita ao título.
Isso, na verdade, é apenas um desabafo. Será que teremos que nos acostumar com esse novo modelo de futebol, sem espetáculo, sem emoção, sem craques, sem magia? Eu não aguentaria. Sinto falta do futebol arte, mas, de qualquer forma, Parabéns à Fúria pela conquista do Mundo.

Foto: Site IG

3 comentários:

WAGNER BELMONTE disse...

Fernando,

engraçado como é o futebol. Torci pela Holanda, em especial por ter eliminado esse Brasil burocrático do Dunga. Felipe Melo, Michel Bastos, Doni e outros não podem entrar numa galeria onde estão por exemplo Romário e Ronaldo mais recentemente ou Amarildo, Garrincha, Carlos Alberto, Tostão, Pelé outrora.
Ao contrário de vc, achei um dos poucos 0x0 interessantes esse duelo entre Espanha e Holanda. Esse Pedro é um pipoqueiro com grife. O tal do Villa mostrou que afina, mas o time da Espanha tem cinco jogadores que seriam titulares de qualquer equipe do mundo: Casillas, Puyol, Xavi, Iniesta e Fabregas.
É difícil dizer qual foi o futebol mais bonito neste Copa, nivelada por baixo. Por ter rompido com a sua cultura sempre pragmática e ter ousado, acho que a Alemanha. Mas o Uruguai, em especial pelo Forlán, também deve ser enaltecido.
Sobre Espanha e Holanda, também torci pela Holanda para que ela não fosse, como foi, tri-vice. Os gols que Robben perdeu, ambos cara a cara, fizeram falta. Mas achei o jogo muito interessante. O duelo tático em si foi mais interessante do que aquilo que se viu nos 90 minutos do tempo regulamentar e nos 30 da prorrogação.

WAGNER BELMONTE disse...

Esqueci de comentar que o Paulo César Vasconcelos, aquele que foi demitido da ESPN Brasil e virou rei na Sportv, disse, no ar, que a Espanha tem "nascido" também na arte, com o cineasta Pedro Almodovar. Perdeu uma chance incrível de ficar de boca fechada e falou besteira, certo?

Fernando Richter disse...

Tem toda razão Belmonte, mas não consigo, de forma alguma, achar que o futebol da Espanha é um futebol bonito de se ver. Pode até ter sido o mais belo dessa Copa, mas não o mais belo que já vi.

Eu, diferente de você, torci demais para a Espanha levar o caneco. Não consigo de forma alguma torcer para uma equipe de brutamontes e que deu porrada em todo mundo durante a Copa.

Se quer mesmo saber, dei graças a Deus que o Mundial daÁfrica chegou ao seu fim.

Abs.