quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Situação "Love"


Se tem algo que me irrita profundamente no futebol é a indefinição de uma negociação.


Há pouco tempo tivemos o caso do Muricy que estava sendo rondado por várias equipes do Brasil, mas que já tinha manifestado sua vontade de fazer parte da equipe do Palmeiras. Até aí, tudo certo. O que acho desagradável é a forma como a questão "financeira" é tratada como prioridade. Acho até que poderia ser realmente uma questão de maior pesa na decisão. Quem não quer ganhar mais? Mas se dinheiro está em primeiro lugar então não ande por aí dizendo que ama tal clube. Isso vejo muito por aí.
Dizem as más linguas que o treinador do Palmeiras anda falando que foi torcedor do clube quando criança. Se for verdade, qual o motivo do comentário? E porque o treinador chegou a negar a primeira proposta que o clube fez a ele? Onde está o tal "amor"?

Amor à camisa tem o Riquelme que joga praticamente de graça pelo Boca Juniors, por gratidão e Paixão.

Amor à camisa é uma atitude que vejo do Veron, que doa à categoria de base do Estudiantes, metade do seu salário, com o intuito de dar melhores condições a aqueles que servirão ao elenco no futuro.

Wagner Love já disse diversas vezes que tem carinho pelo Verdão, mas até agora não cofirmou sua negociação com o clube. E sabe por quê? Simplesmente porque espera propostas mais $interessantes$ de outros clubes, inclusive da Europa. Ou seja, de "love" essa nessa negociação não tem nada.

Acredito que o futebol vive neste momento uma situação em que 99% dos jogadores e técnicos amam apenas o dinheiro, e nada mais. Amor à camisa acabou faz tempo. Tempo esse que eu não "vivi" para contrar...

Foto: www/globoesporte.com / Getty Imagens

4 comentários:

Rodrigo Garcia disse...

Infelizmente,Fernando estou de pleno acordo com vc.
O amor ao clube acabou faz tempo.
Contamos nos dedos,os que tem compromisso com o clube,como era o caso do Zico,Pelé,Rivelino,Júnior;e agora como alguns casos especiais como Marcos,Rogério Ceni.
O mundo mudou e futebol também.
Hoje,os clubes não passam de "barriga de aluguel",para os empresários,ávidos por dinheiro.

http://rodrigofutebolgarcia.blogspot.com (Futebol Sem Censura)

Viviane Lima disse...

fe sempre arrasando

Fernando Richter disse...

Rodrigo,

Muito bem observado! Não vejo outros atletas, a não ser Rogério Ceni e Marcos, que ainda mantém um pouco da tal história de amor à camisa.

visite sempre o blog, meu amigo,
Fernando Richter

Fernando Richter disse...

valeu Vivi.